segunda-feira, 17 de março de 2008

LE POÈTE S'AMUSE OU LE POÈTE ET SA MUSE

Breve evocação de um querido amigo

Don Giovanni

Para ti um ramo de amores imperfeitos
Mário Botas, 1952-1983
Pintor & Poeta











autoretratos
o menino a rosa e o sonho


memória,meu livro de cabeceira
as estrelas na casa do mundo







heterónimos dela

um céu vestido de azul teus olhos dentro



no princípio de nós adão e as maçãs de eva

mas sem título





Um desafio iluminado por uma macabra cicatriz; somos a leitura da morte, a incapacidade da vida, a ilusão do amanhecer.
Por detrás de nós sorriem papagaios, avolumam-se oceanos e desaparecem ilhas tropicais.
A vida tem uma consistência leve: como leve era o grito dos gatos.

O amor pressupõe visitas guiadas ao interior de uma ave.

Só então se compreenderá o girar das alavancas que movimentaram os nossos antepassados.
Importantes, ainda mais importantes, são na verdade os olhos do cego. Que esplendor! Que escuridão!

MB




temos um encontro marcado, lembras-te? para outro dia...

1 Comentários:

Blogger M. disse...

olá

chamo-me márcia cardoso, tenho 35 anos e sou actriz.
adorei ver estas imagens e estas palavras do mário botas no seu blogue...
posso depreender que o conheceu?
eu só agora entrei em contacto com a sua obra e é fascinante... sinto-me muito triste por não conseguir ter acesso a mais informação sobre ele e sobre a sua obra... talvez me pudesse ajudar...
se puder e quiser pode contactar-me para o mail marciacardos@hotmail.com

obrigada de qualquer forma por partilhar estas imagens e palavras de um grande artista português que poucos conhecem... pode ser que em breve isso comece a mudar!

um abraço

márcia

19 de dezembro de 2010 16:27  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial